domingo, 31 de março de 2013

Novo Portal da Indústria :: SENAI :: Educação a distância

O SENAI oferece cursos gratuitos em diversas áreas para preparação e atualização de competências profissionais. Os Cursos são oferecidos em forma totalmente online ou livro impresso. 
Os cursos são na área de Educação Ambiental, Empreendedorismo, Legislação Trabalhista, Segurança no Trabalho, TI e Comunicação e Propriedade intelectual.
Novo Portal da Indústria :: SENAI :: Educação a distância

quinta-feira, 21 de março de 2013

Eletrização


Os primeiros registros de fenômenos elétricos foram feitos pelos gregos. Thales de Mileto(filósofo e matemático) observou que o âmbar atritado a pele de um animal atraía corpos leve como pedaços de palha.
Dois mil anos depois o médico inglês Willian Gilbert(1544-1603) constatou que vários outros corpos quando atritados a outros corpos também se comportavam como o âmbar. Gilbert introduziu os termos “eletrizado”, “eletrização” e “eletricidade”, nomes derivados da palavra grega para âmbar: elektron.
O cientista francês François Du Fay (1698-1739) através de experiências descobriu que o vidro atritado a seda atraía o âmbar. Segundo ele existiam dois tipos de eletricidade: a eletricidade vítrea e a eletricidade resinosa. Portanto corpos com mesmo tipo de eletricidade se repelem e corpos com tipo de eletricidade diferente se atraem. Essa teoria ficou conhecida como a teoria dos dois fluídos, cada corpo tinha uma porção igual desses dois fluídos.
Benjamim Franklin (1701-1790) apresentou outra teoria que dizia haver apenas um tipo de fluído. Quando dois corpos são atritados um deles perde parte de seu fluído. Essa parte é transferida ao outro corpo. Franklin dizia que o vidro que recebia o fluído elétrico ficava eletrizado positivamente e o âmbar que perdia fluído ficava eletrizado negativamente. Essa terminologia é utilizada até hoje e corresponde aos termos eletricidade vítrea e resinosa de Du Fay.
No início do século XX a teoria atômica trouxe outra perspectiva. Todos os corpos (sejam sólidos, líquidos ou gasosos) são formados por átomos*. Estes por sua vez são constituídos por partículas elementares: os prótons, os nêutrons e os elétrons. Prótons e Nêutrons formam o núcleo do átomo e os elétrons orbitam esse núcleo.
Os prótons e elétrons por sua vez apresentam propriedades elétricas e a essas propriedades associamos uma grandeza fundamental que denominamos carga elétrica.
Carga Elétrica é a grandeza física que determina a intensidade das interações eletromagnéticas. Sua unidade no SI é 1 Coulomb (C ).  1 Coulomb corresponde a 6,25 x 1018 elétrons em excesso positiva ou negativamente em um corpo.
Até hoje nunca foi observado  um corpo que possua carga menor que a do elétron. Só foram observados corpos com cargas que são múltiplos inteiros de ℮. Por isso dizemos que a carga elétrica é quantizada, isto é, existe em quanta( quantum em grego significa pedaço).

Q=n.e,  n= ±1,±2,±3...
e= 1,6x10-19 C.


Leia também: Eletromagnetismo

sábado, 2 de março de 2013

Diferença entre Microprocessador e Microcontrolador.

Por Júlio César Pereira


Microprocessador(µP) é o cérebro do computador. Fisicamente um dispositivo semicondutor (CI) constituído por milhões de transistores que implementam uma variedade de circuitos (registradores, máquinas sequenciais, circuitos lógicos, etc.).  Ele é responsável pela busca de um programa na memória e por sua execução.

Microcontrolador(µC) é um dispositivo semicondutor em forma de CI. Integra todas as partes básicas de um microcomputador; CPU, memórias não voláteis (ROM, PROM), memórias voláteis (RAM, SRAM), portas de entrada e saída (comunicação paralela ou serial). É um microcomputador implementado em um CI.
 Fonte Imagens:http://microcontrolador-pic.blogspot.com.br/2010/11/diferenca-entre-microcontrolador-e.html